Mais um ano de parceriaūüöó com o Vodafone Rally de Portugal

S√£o j√° quatro anos consecutivos em parceria com o maior evento desportivo em Portugal. Tem sido uma aposta ganha, que demonstra bem o nosso dinamismo e vontade de crescer, numa estrat√©gia de proximidade com o nosso p√ļblico.

Rally de Portigal: Uma história com meio século

Fundado em 1903, o Autom√≥vel Club de Portugal (ACP) desde sempre dedicou uma aten√ß√£o muito especial √† competi√ß√£o autom√≥vel em Portugal, tendo chamado a si a organiza√ß√£o das mais importantes competi√ß√Ķes dos calend√°rios internacionais.

Não admirou por isso que, em 1967, o ACP tivesse levado para a estrada a primeira edição do Rally TAP, competição que rapidamente granjeou enorme prestígio internacional a ponto de, seis anos depois, ter feito parte do primeiro Campeonato do Mundo de Ralis.

Ao longo da sua hist√≥ria, o Rally TAP, e mais tarde o Rally de Portugal, escreveram p√°ginas de sucesso no palmar√©s do Mundial, a ponto de ter sido considerado por cinco vezes o ‚ÄúMelhor Rally do Mundo‚ÄĚ e em 2000 ter sido distinguido com o pr√©mio de ‚ÄúRali com Melhor Evolu√ß√£o do Ano‚ÄĚ.

Depois da decisão da FIA em retirar a prova do calendário do Mundial, os responsáveis do ACP, desde que a Direcção presidida por Carlos Barbosa foi eleita, não deixaram de apostar no regresso do Rally de Portugal ao escalão máximo, o que foi conseguido em 2007, tendo as estradas do Algarve por cenário.

Fruto da rota√ß√£o das provas no calend√°rio do Mundial, o Rally de Portugal esteve ausente do WRC em 2008, mas voltou em 2009 ao conv√≠vio dos grandes eventos internacionais, num evento que recebeu os elogios un√Ęnimes de participantes, autoridades desportivas e Comunica√ß√£o Social.

Ap√≥s dez anos no Algarve e Baixo Alentejo, sete deles como jornada incontorn√°vel do calend√°rio Mundial, e mais de uma d√©cada depois da √ļltima visita do Campeonato do Mundo √† regi√£o de Entre Douro e Minho, o Vodafone Rally de Portugal regressa ao Norte do Pa√≠s em 2015 oferecendo √†s actuais estrelas do WRC a oportunidade de sentirem na primeira pessoa todas as emo√ß√Ķes e exig√™ncias que tornaram m√≠tica a prova do ACP.

Ap√≥s dez anos no Algarve e Baixo Alentejo, o sonho de longa data tornou-se realidade: o Vodafone Rally de Portugal regressou ao Norte do Pa√≠s com um sucesso estrondoso e com um n√≠vel de competitividade impressionante, como se verificou em 2017, ano em que se assinalou o 50¬ļ Anivers√°rio do Rally de Portugal no que acabou por ser uma edi√ß√£o memor√°vel da prova, com recordes que dever√£o prevalecer por muito tempo.

Breve resumo da edição de 2017

Com oito dos 11 tro√ßos que compunham o Rally a apresentarem altera√ß√Ķes face a 2016, era grande a expectativa √† partida para o Vodafone Rally de Portugal 2017, n√£o apenas por se tratar da edi√ß√£o do 50¬ļ Anivers√°rio do Rally de Portugal, mas tamb√©m porque era a primeira verdadeira prova de terra de uma temporada repleta de novidades em termos de regulamentos, carros e alinhamento das equipas.
E a verdade √© que o p√ļblico n√£o saiu defraudado da prova do Autom√≥vel Club de Portugal, bem pelo contr√°rio. Prova disso s√£o os n√ļmeros impressionantes que fizeram parte do Rally e lhe garantem um lugar incontorn√°vel na hist√≥ria do Campeonato do Mundo.
A a√ß√£o come√ßou desde logo com dois vencedores, com Thierry Neuville (Hyundai) e Mads √ėstberg (Ford) a assinarem a melhor marca na SSS 1, em Lousada. O elevado n√≠vel de competitividade, que j√° tinha ficado bem patente nas cinco primeiras jornadas do Mundial, voltou a mostrar-se no seu melhor com uma estreia absoluta no WRC: pela primeira vez uma especial foi ganha por tr√™s pilotos. Ott T√§nak (Ford), Kris Meeke e Craig Breen, ambos em Citro√ęn, assinaram exatamente o mesmo tempo, 19:14.0s! Ao cabo de apenas quatro classificativas eram j√° sete os pilotos com vit√≥rias!
Mas o elevado n√≠vel de competitividade ficou tamb√©m patente no n√ļmero de l√≠deres. No total, o Vodafone Rally de Portugal de 2017 teve sete l√≠deres diferentes, sendo que pela sexta especial T√§nak tornava-se o sexto l√≠der depois Kris Meeke, Jari-Matti Latvala (Toyota), Hayden Paddon (Hyundai), Neuville e √ėstberg!
Estava tudo em aberto, com as especiais que se seguiram a verem ainda Dani Sordo (Hyundai) e Sébastien Ogier (Ford) juntarem-se à lista de pilotos com vitórias em troços. O momento decisivo da prova surgiria em Amarante 1, altura em que o Campeão do Mundo Ogier se tornou no sétimo líder da prova ao vencer a especial e tirar excelente partido de um toque de Tänak contra uma barreira que o relegou para o quinto posto da geral.
A partir daí o francês liderou até final, gerindo a vantagem para os rivais da Hyundai, Neuville e Sordo, para se tornar no segundo piloto a bisar na época.
No WRC2 o triunfo acabou por ficar a cargo de Pontus Tiedmand (Skoda), enquanto no WRC3 a vit√≥ria foi do mexicano Francisco Name. J√° no WRC Trophy, categoria reservada aos WRC com especifica√ß√Ķes pr√©-2017, Martin Prokop foi o melhor. Em termos nacionais, Miguel Campos foi o melhor luso, se bem que a vit√≥ria no Campeonato Nacional, competi√ß√£o para a qual o Rally voltou a pontuar em 2017, o triunfo foi de Pedro Meireles.

Com oito dos 11 tro√ßos que compunham o Rally a apresentarem altera√ß√Ķes face a 2016, era grande a expectativa √† partida para o Vodafone Rally de Portugal 2017, n√£o apenas por se tratar da edi√ß√£o do 50¬ļ Anivers√°rio do Rally de Portugal, mas tamb√©m porque era a primeira verdadeira prova de terra de uma temporada repleta de novidades em termos de regulamentos, carros e alinhamento das equipas.

E a verdade √© que o p√ļblico n√£o saiu defraudado da prova do Autom√≥vel Club de Portugal, bem pelo contr√°rio. Prova disso s√£o os n√ļmeros impressionantes que fizeram parte do Rally e lhe garantem um lugar incontorn√°vel na hist√≥ria do Campeonato do Mundo.

A a√ß√£o come√ßou desde logo com dois vencedores, com Thierry Neuville (Hyundai) e Mads √ėstberg (Ford) a assinarem a melhor marca na SSS 1, em Lousada. O elevado n√≠vel de competitividade, que j√° tinha ficado bem patente nas cinco primeiras jornadas do Mundial, voltou a mostrar-se no seu melhor com uma estreia absoluta no WRC: pela primeira vez uma especial foi ganha por tr√™s pilotos. Ott T√§nak (Ford), Kris Meeke e Craig Breen, ambos em Citro√ęn, assinaram exatamente o mesmo tempo, 19:14.0s! Ao cabo de apenas quatro classificativas eram j√° sete os pilotos com vit√≥rias!

Mas o elevado n√≠vel de competitividade ficou tamb√©m patente no n√ļmero de l√≠deres. No total, o Vodafone Rally de Portugal de 2017 teve sete l√≠deres diferentes, sendo que pela sexta especial T√§nak tornava-se o sexto l√≠der depois Kris Meeke, Jari-Matti Latvala (Toyota), Hayden Paddon (Hyundai), Neuville e √ėstberg!

Estava tudo em aberto, com as especiais que se seguiram a verem ainda Dani Sordo (Hyundai) e Sébastien Ogier (Ford) juntarem-se à lista de pilotos com vitórias em troços. O momento decisivo da prova surgiria em Amarante 1, altura em que o Campeão do Mundo Ogier se tornou no sétimo líder da prova ao vencer a especial e tirar excelente partido de um toque de Tänak contra uma barreira que o relegou para o quinto posto da geral.

A partir daí o francês liderou até final, gerindo a vantagem para os rivais da Hyundai, Neuville e Sordo, para se tornar no segundo piloto a bisar na época.

No WRC2 o triunfo acabou por ficar a cargo de Pontus Tiedmand (Skoda), enquanto no WRC3 a vit√≥ria foi do mexicano Francisco Name. J√° no WRC Trophy, categoria reservada aos WRC com especifica√ß√Ķes pr√©-2017, Martin Prokop foi o melhor. Em termos nacionais, Miguel Campos foi o melhor luso, se bem que a vit√≥ria no Campeonato Nacional, competi√ß√£o para a qual o Rally voltou a pontuar em 2017, foi de Pedro Meireles.

Fonte: ACP

Site oficial do Vodafone Rally de Portugal: http://www.rallydeportugal.pt/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *